terça-feira, 6 de abril de 2010

Ela

Que linda essa foto ....
A revista britânica, a Glamour, causou alvoroço ao publicar a foto de Lizzie Miller, 20 anos, considerada muito gorda para ser modelo “plus-size”. A revista recebeu pencas de e-mails aprovando a publicação da foto! O sucesso foi tanto, mas tanto… que a revista já prometeu publicar mais fotos mostrando o corpo de garotas normais (e um pouco acima do peso)



Se você não tem problemas com a sua, levante as mãos para o céu e pare agora mesmo de reclamar da vida. O que são algumas dívidas para pagar, um celular sempre sem bateria, um final de semana chuvoso?
Chatices, mas dá-se um jeito. Nela não. Nela não dá-se um jeito. Para eliminá-la, prometemos cortar bebidas alcoólicas, prometemos fazer mil abdominais por dia, mas ela não acusa o golpe, segue com sua saliência irritante.
A gente caminha, corre, sobe escada, desce escada, vibra quando nosso intestino está bem regulado, cumprindo suas funções à perfeição, mas ela não se faz de rogada, mantém-se firme onde está.
"Mantém-se firme" é força de expressão. Ela é tudo, menos firme. Você sabe de quem estou falando.
Ela é uma praga masculina e feminina. Os homens também sofrem, mas aprendem a conviver com ela: entregam os pontos e vão em frente, encarando a situação como uma contingência do destino. As mulheres, não. Mulheres são guerreiras, lutam com todas as armas que têm. Algumas ficam sem respirar para encolhê-la, chegam a ficar azuis. Outras vão para a mesa de cirurgia e ordenam que o médico sugue a desgraçada com umbigo e tudo. Mas passa-se o tempo e ela volta, a desaforada sempre volta.
Quem não tem a sua? Eu conto quem: umas poucas sortudas com menos de quinze anos. Umas poucas malucas que acordam, almoçam e jantam na academia. Algumas mais malucas ainda que não almoçam nem jantam. As que nasceram com crédito pré-aprovado com Deus. E aquelas que nunca engravidaram, lógico.
As que ignoram totalmente sobre o que estou falando são poucas, não lotariam uma sala de cinema. Já as que sabem muito bem quem é a protagonista desta crônica (pois alojam a infeliz no próprio corpo) povoam o resto da cidade, estão por toda a parte. Batas disfarçam, vestidinhos disfarçam, biquínis colocam tudo a perder.
Nem todas a possuem enorme. Cruzes, não. Às vezes é apenas uma protuberância, uma coisinha de nada, na horizontal nem se repara. Aliás, mulheres acordam mais bem humoradas do que os homens porque de manhã cedo somos todas magras. Todas tábuas. Todas retas. Passam-se as primeiras horas, no entanto, e a lei da gravidade surge para dar bom dia. Lá se vai nosso humor.
Falam muito de celulite. Falam de seios, de traseiros, de rugas, de pés grandes, de falta de cintura, de caspa, de tornozelos grossos, de orelhas de abano, de narizes desproporcionais, de ombros caídos, de muita coisa caída. Temos uma possibilidade infinita de defeitos. Mas ela é que nos tira do prumo. Ela é que compromete nossa silhueta. Ela é que arrasa com a nossa elegância. Ela. Nem ouso pronunciar seu nome. Você sabe bem quem. Se não sabe, sorte sua: é porque não tem.

Crônica tirada do livro: Doidas e Santas
Martha Medeiros

4 comentários:

Dona Amélia disse...

O melhor espelho que temos são nossos olhos, mas desde que eles vejam com sabedoria e condescendência, porque o que a mídia hoje quer são cabides para roupas de grifes, não corpos ansiosos por serem vestidos.

Bjos
Paty

Fabiano Mayrink disse...

minha amiga cabelos grisalhos sao mesmo um charme, é so saber o corte ideal que fica lindo! a beterraba nao vai dar certo mesmo no seu caso rs, abraços!

o ideal é fazer como vc e esta moça ai, ser feliz do jeito que é!

Neli Rodrigues disse...

Ótimo o texto de M. Medeiros.

Ai....a barriguinha....eu luto diariamente c/ a minha,kkkk.

Bjs♥

lilly disse...

pois é, mas a cobrança pra não envelhecermos, nem engordarmos é enorme, principalmente das mulhers que convivem com a gente
bjs
lilly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...